Nutrição, saúde, exercício físico, reeducação alimentar.

Tratamento alimentar na doença diverticular





Essa semana vamos falar sobre um assunto um pouco desconhecido da população em geral, a Doença Diverticular, ou como é mais conhecido: Diverticulose. Por isso, vamos iniciar entendendo o que é essa doença.

Segundo a Sociedade Brasileira de Coloproctologia, Diverticulose é simplesmente a presença dos divertículos no intestino grosso.

E O QUE SÃO OS DIVERTÍCULOS?

São pequenos sacos que surgem na parede do intestino grosso. O seu aparecimento está relacionado a uma diminuição da ingestão de fibras na dieta. Vale entender que não existe relação direta entre o câncer de intestino e a formação dos divertículos, apenas existem alguns sintomas parecidos.

Existe uma estimativa de que metade da população aos 50 anos apresentem divertículos e praticamente toda população a partir dos 80 anos.

QUAIS OS SINTOMAS?

A diverticulose geralmente é assintomática (não apresenta nenhum sintoma nos portadores), mas uma quantidade menor de pessoas apresentam dor abdominal e mudanças no hábito intestinal quando apresentam a doença diverticular. A progressão da doença pode levar a quadros de infecção nos divertículos, conhecida como Diverticulite. Na diverticulite o paciente apresenta febre, mal estar, dor permanente no abdômen e parada do funcionamento intestinal, essa é uma das complicações mais recorrentes da Diverticulose.

COMO É REALIZADO O DIAGNÓSTICO?

Os pacientes quando apresentam os sintomas podem ser submetidos a exames laboratoriais (sangue, fezes e urina) e ainda exames radiológicos (clister opaco e tomografia computadorizada) e endoscópico (colonoscopia).



COMO É FEITO O TRATAMENTO DA DIVERTICULOSE?

O tratamento geralmente é baseado em correções de hábitos alimentares, podendo ser utilizado também analgésicos para amenizar as dores. Quando o paciente apresenta a Diverticulite se faz necessário o uso de antibióticos.

E COMO É FEITO O TRATAMENTO ALIMENTAR?

Um das estratégias mais importantes de correção alimentar é o aumento da ingestão de fibras dietéticas, através do estímulo ao consumo de alimentos ricos como as frutas, os legumes, as verduras e os grãos integrais.

A alimentação deve ser realizada a cada 3 horas. Deve-se mastigar lentamente os alimentos. Os líquidos devem ser consumidos no mínimo 2 litros de água ao dia. Optar por alimentos magros e temperos suaves.

Deve-se evitar: sementes de alimentos (gergelim, melancia, maracujá e etc); alto consumo de gorduras (carnes, leites e derivados integrais, enlatados e embutidos, temperos industrializados); alimentos flatulentos (feijões, lentilha, brócolis, couve-flor, cebola, repolho, pepino, pimentão, abacate, melancia, uva e melão); açúcares e doces concentrados e alimentos específicos que causem cólica ou desconforto.

As complicações provocadas pela Diverticulose podem ser evitadas através de um estilo de vida saudável como dieta balanceada com presença de fibras e líquidos, além da prática regular de exercícios físicos, o que contribui para a redução do risco de constipação intestinal. Lembre-se que hábitos saudáveis são indispensáveis para se obter qualidade de vida.

REFERÊNCIAS

Folheto informativo – Doença Diverticular. Sociedade Brasileita de Coloproctologia, 2009.

2 comentários:

Tecnologia do Blogger.