Nutrição, saúde, exercício físico, reeducação alimentar.

OS TRÊS TIPOS DE PESSOAS QUANDO O ASSUNTO É ALIMENTAÇÃO


1° Aquelas que não estão "nem aí" para o que comem - são aquelas pessoas que até sabem o que devem comer, mas não se importam, estão muito acomodadas com a alimentação errada que realizam. Um argumento muito forte desse grupo é: "a gente só morre quando chega a hora" ou “não quero viver muito tempo mesmo”, mas existem muitas formas de viver a vida, uma delas é livre de doenças, uma velhice saudável (pois muitas doenças relacionadas a alimentação não levam a morte rapidamente, mas reduzem a qualidade de vida, devido as restrições). Não há nada pior que viver com doenças e dependendo de medicamentos, pior ainda quando sabemos que foi nossa responsabilidade por não prestar atenção no que comemos.



2° Aquelas que se preocupam muito com a alimentação e caem em qualquer conversa - são aquelas pessoas que geralmente são muito preocupadas com a estética, praticantes de exercício físico. Esse grupo também é preocupante, pois ele está tão ansiosos para obter resultados de forma rápida que apelam para qualquer coisa aparentemente mais fácil, caem na conversa do amigo de academia ou da vizinha ou dos programas e propagandas de televisão, então elas tomam uma série de shakes que substituem a alimentação, ou tomam chás, ou usam suplementos por cima de suplementos. Eles até conseguem um resultado rápido, mas debilitam em muito a saúde, futuramente problemas como deficiências nutricionais, problemas renais, hepáticos (fígado) e cardíacos entre outras debilidades podem surgir. Lembrando que é considerada doença essa preocupação exagerada pelo corpo (vigorexia, anorexia, bulimia – em outro momento falaremos mais sobre esse tema).






3° Aquelas que pensam que tem uma alimentação saudável - esse grupo é o que mais encontro na minha prática clínica, geralmente eles alegam: "eu como tão bem, não sei por que estou engordando tanto" ou "cuido tanto da minha alimentação e desenvolvi essa doença", e quando investigamos, é notório os erros alimentares, muitos dos quais existe reluta para conseguir mudar. Mas, ainda melhor são essas que procuram ajuda profissional, pior mesmo são aquelas que continuam em "suas dietas saudáveis" que não são nada saudáveis, vão caminhado para complicações de saúde e nem se dão conta que tem a ver com a alimentação. 








Esses tipos de pessoas trazem muita preocupação para nós, profissionais da nutrição, pois estão pondo em risco sua saúde e a qualidade de vida. Vale ressaltar que nem todas as doenças tem relação com o tipo de alimentação, mas boa parte delas principalmente as DCNT - Doenças crônicas não-transmissíveis (obesidade, diabetes, hipertensão, cardiopatias e câncer) estão bastante associadas a alimentação incorreta e a cada dia o quadro dessas doenças vem se agravando no Brasil e no mundo.

O meu conselho a vocês leitores é: podemos viver muito tempo ou pouco tempo, ninguém sabe, mas bom será se esse tempo seja com qualidade, para isso entre muitas outras coisas (exercício físico, evitar estresse, etc) a alimentação saudável é fundamental. Busque ter uma alimentação mais saudável, dentro de suas possibilidades e procure alguém habilitado para lhe "ensinar a comer", não caia nas conversas por aí a fora. Lembre-se que o que vem fácil também vai fácil, não acredite nessas fórmulas milagrosas.

Acompanhe nosso espaço para receber muitas outras informações e dicas.





4 comentários:

Tecnologia do Blogger.